Faculdade DAMAOrganização

Administrativa e Pedagógica


Aqui você vai encontrar tudo o que acerca a Organização Administrativa e Pedagógica do DAMA



Selecione um Tópico

  • Proposta Curricular
  • Plano de Ensino
  • Sistema de Avaliação
  • Estágio Curricular
  • Atribuições e Responsabilidades
  • Direitos e Deveres do Professor
  • Direitos e Deveres do Coordenador

Proposta Curricular

A especialidade da Escola Técnica DAMA é ofertar Cursos Profissionalizantes em Nível Técnico Pós-Médio, adaptando-os ao Catálogo Nacional de Cursos Técnicos de Nível Médio, aprovados pelo Parecer CNE/CEB Nº11 de 12/6/2008.

 

Esses cursos destinam-se aos egressos dos cursos em nível de Ensino Médio da Educação Básica, educação geral ou técnica, organizados em sistema modular com carga horária específica.  Há possibilidades também, de adequação curricular de disciplinas e carga horária cursada, para os alunos concluintes e egressos de outros cursos técnicos, podendo os educandos, convalidarem disciplinas/competências cursadas anteriormente.

 

 

Para a conclusão de cada curso técnico, o aluno necessita ter frequência mínima de 75% das h/a ministradas no decorrer do período e aproveitamento de 70% das competências e habilidades dos módulos.

 

O Estágio Curricular poderá ser desenvolvido a partir do 1º módulo em alguns Cursos Técnicos de acordo com o projeto pedagógico do curso, paralelamente ou, ao término das aulas teóricas e práticas, de acordo com a disponibilidade do aluno, num prazo máximo de 05 (cinco) anos a contar da data de início do Curso.

 

O aluno pode ingressar no curso com o histórico do ensino médio, caso ainda não tenha concluído.

 

Na conclusão dos Cursos, a Escola se responsabiliza pela expedição dos Certificados e Diplomas devidamente registrados.

 

O Ensino Médio está organizado sobre uma sólida base de conhecimento científico, tecnológico e humanístico, com carga horária total de 3.000 (três mil) horas, sendo 2.496h destinadas ao núcleo comum e 512h à parte diversificada, com duração de 03 (três) anos letivos.

 

O pré-requisito de acesso é a conclusão da 8ª série ou 9º ano do Ensino Fundamental.

 

O Curso Supletivo de Educação de Jovens e Adultos – Ensino Fundamental e Médio será oferecido como promoção humana e igualdade de oportunidades, visando ao bem estar pessoal e coletivo do aluno.

 

 

Plano de Ensino

É um instrumento didático-pedagógico e administrativo de elaboração e uso obrigatório do professor.

 

O Plano de Ensino deverá ser elaborado e adaptado de acordo com as competências e habilidades de cada Plano de Cursos Técnicos.  Para elaboração do plano, o professor deve seguir formulário próprio, disponibilizado pela equipe pedagógica da escola, entendendo que o planejamento é o processo de estruturação e organização da ação pedagógica essencial para a prática docente.

Sistema de Avaliação

 

O Projeto Pedagógico da Escola,  estabelece para todos os cursos técnicos os critérios de AVALIAÇÃO POR PONTUAÇÃO, considerando-se as competências previstas para cada curso.

 

Fica estabelecido, por disciplina, o número total de 200 (duzentos) pontos. Para que o aluno seja considerado apto (A), a pontuação mínima é 140 (cento e quarenta) pontos, ou seja, 70% deste valor.

 

A pontuação mínima exigida para o estágio curricular supervisionado é 160 (cento e sessenta) pontos, ou seja 80% deste valor.

 

Critérios de avaliação da aprendizagem (sugestões)

 

O docente poderá escolher o mínimo de 03 (três) critérios de avaliação estabelecidos no item abaixo, ou de acordo com as especificidades da disciplina que ministra desde que cumpra o número total de 200 (duzentos) pontos definidos no Projeto Pedagógico. 

 

 

  CRITÉRIOS PONTOS
A Provas escritas e orais 40
B Trabalhos de pesquisa orientados 30
C Exercícios em sala de aula 20
D Estudo de casos 20
E Assiduidade e participação 20
F Auto - Avaliação 10
G Prática com execução técnica / procedimento 40
H Relatório técnico 20
  TOTAL 200

 

 

Recuperação de estudos

 

 

Recuperação paralela (Art. 24, da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996).

 

 

A Recuperação paralela é executada logo após a constatação da não obtenção da pontuação mínima de 70% de aproveitamento de qualquer atividade avaliada do ensino teórico ou prático, e 80% no desenvolvimento do estágio supervisionado (durante a disciplina).

Poderá ser realizada em outro período de aula matutino/vespertino ou sábado.

 

 

 

Recuperação continuada

 

 

A Recuperação Continuada é aquela realizada após a constatação da não obtenção mínima da pontuação exigida na avaliação.

Ex.: Após realizada a primeira avaliação, o professor constatou que o aluno não atingiu a pontuação mínima exigida, e a recuperação continuada deve ser aplicada logo em seguida, antes da segunda avaliação.

 

 

Avaliação posterior (segunda chamada)

 

 

Será concedida autorização para realização de prova ou trabalho ao aluno que não for avaliado, na primeira chamada, mediante o encaminhamento de requerimento, com comprovante (declaração ou atestado médico) em anexo, justificando a ausência, obedecendo ao prazo  máximo de 02 (dois) dias úteis, após a realização da primeira chamada.

 

 

Promoção

 

 

Estará APTO (A) o aluno que obtiver, no mínimo, 140 (cento e quarenta) pontos ou 70% (setenta) de aproveitamento dos conteúdos ministrados, após avaliações (no mínimo três critérios) feitas durante o semestre na disciplina em curso.

No estágio supervisionado, será considerado APTO (A), o aluno que obtiver 160 (cento e sessenta pontos)  ou 80% de aproveitamento.

 

 

 

Promoção no Ensino Médio Regular

 

 

Será considerado aprovado ou Apto (A) o aluno que obtiver o mínimo de 140 pontos, 70% de aproveitamento, respeitando a aquisição de competências e habilidades desenvolvidas.

 

 

Frequência

 

A freqüência/assiduidade mínima obrigatória é de 75% (setenta e cinco por cento) por disciplina. O não cumprimento desta condição implicará na reprovação do aluno, com a anulação automática de todos os instrumentos de avaliação.

 

 

Justificativa de faltas

 

O abono de faltas será considerado apenas nos casos de atestado médico, doenças previstas pelo Decreto-Lei n. 1.044/1969 que concede regime especial de estudo aos portadores de moléstias congênitas, infecto-contagiosas, traumatismos e outras condições patológicas, e, pela Lei n. 6.202/1975 que ampara a gestante a partir do oitavo mês de gravidez, desde que seja devidamente comprovado. Atendendo ao parecer n. 731/99 da Consultoria Jurídica do MEC. As justificativas de faltas, também poderão ser consideradas nos casos de:

- Dispensa médica do aluno ou de seu dependente, ou de trabalho (sujeito à confirmação na empresa) na data da realização da prova/trabalho, apresentada no prazo máximo de 02 (dois) dias úteis;

-Atestado de óbito de familiar direto: pai, mãe, avó, avô, irmão, cônjuge ou filho, de acordo com a legislação vigente.

 

 

 

 

Conselho de Classe

 

O Conselho tem por objetivo refletir a ação pedagógico-educativa, e não apenas se ater em pontuação, conceitos ou problemas de determinados alunos. O conselho é uma forma de avaliação de controle da realização da proposta pedagógica:

- O Conselho de Classe será organizado numa perspectiva de análise do rendimento global do aluno, com interferências interdisciplinares, O Conselho de Classe analisará a situação dos alunos, sob a perspectiva da aquisição dos conhecimentos e das competências previstas para cada um dos componentes curriculares e dos fatores que a influenciam;

-Será objeto de análise pelo Conselho de Classe, em caráter ordinário, o aluno que, deixando de apresentar o rendimento mínimo, tiver freqüência igual ou menor que 75% (setenta e cinco por cento), no(s) componente(s) curricular (es) objeto(s) de análise do conselho;

-Para efeito de escrituração escolar, permanecerá, nos registros escolares, o conceito final obtido pelo aluno no módulo e a observação da aprovação pelo Conselho de Classe;

-O Conselho de Classe será composto, obrigatoriamente, pelo corpo de professores, coordenadores dos cursos e pela diretoria e coordenação pedagógica;

-Poderão participar do Conselho de Classe, diretoria administrativa, professores, coordenadores e alunos representantes de turmas.

 

 

Cancelamento de Matrícula

 

O cancelamento da matrícula poderá ocorrer mediante:

-Requerimento do aluno dirigido ao Diretor Geral, se o aluno possuir, no mínimo, 16 anos de idade, ou do seu responsável legal, se menor de dezesseis anos;

-Por iniciativa da Escola, quando o aluno regularmente matriculado deixar de frequentar, injustificadamente, um período escolar;

-Por iniciativa da Escola, quando o aluno cometer irregularidade ou infração disciplinar, com a garantia do contraditório e a ampla defesa, nos seguintes casos: apresentar matrícula documento falso ou falsificado, portar arma branca ou de fogo dentro da instituição, agredir física ou moralmente qualquer pessoa, dentro ou nas proximidades da instituição, portar, fazer uso ou oferecer a outrem substâncias narcóticas, cometer atos de depredação do prédio e incorrer em outras faltas consideradas graves;

-Por inadimplência (término do contrato) ou não cumprimento das normas estabelecidas em Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

 

 

 

Diplomas e Certificados

 

Nos cursos Técnicos, o Diploma de Técnico, por sua estrutura curricular e carga horária de pós-médio, será conferido ao aluno que:

- Cumprir todo o currículo previsto para o(s) curso(s), inclusive estágio, se necessário, no prazo máximo de 2 (dois)  anos após formatura;

- Apresentar relatório final de estágio à banca oficial da Escola Técnica DAMA, após o cumprimento de todas as etapas curriculares e administrativo-financeiras;

- Comprovar a conclusão do Ensino Médio Regular;

- Aos alunos que concluírem partes da formação prevista, conforme consta nos componentes curriculares serão fornecidos certificados de qualificação profissional de Nível Técnico por Módulo de acordo com a especificidade da Carga horária estudada;

-É vedado ao aluno a participação da formatura do seu curso, no caso de qualquer pendência curricular ou contratual;

-O prazo de entrega dos diplomas, nas condições acima, será estabelecido após requerimento encaminhado à Secretaria da Escola;

-A entrega dos diplomas obedecerá às condições acima estabelecidas, mediante requerimento do interessado encaminhado à Secretaria da Escola, que determina o prazo de retirada.

 

 

 

Trabalho de Conclusão de Curso

 

O Trabalho de Conclusão de Curso ou Relatório Final de Estágio ou outra modalidade indicada no Projeto Político Pedagógico deverá ser orientado obrigatoriamente por um professor do programa e será considerado aprovado após ser submetido à banca com apreciação do orientador e de um membro do corpo docente.

Exige-se a complementação de todas as disciplinas do currículo antes da apresentação do Relatório Final de Estágio à banca oficial da Escola Técnica DAMA.

O aluno que for aprovado deverá entregar na secretaria da Escola Técnica DAMA, 01 (uma) cópia do relatório encadernada de acordo com o padrão do seu curso, que conta na normalização da Escola.

 

 

Disposições gerais

 

Com a finalidade de sanar defasagens de conhecimentos essenciais à continuidade do processo ensino-aprendizagem, a Instituição poderá organizar períodos de complementação de formação, dimensionada em projeto próprio e voltada à preparação ou adaptação dos alunos;

- O número de turmas a ser oferecido, em cada período, será dimensionado pelo Diretor Geral, ouvida a Coordenação Pedagógica;

- A Escola Técnica DAMA poderá, em função do número de alunos ou em decorrência de outros problemas de ordem técnica ou pedagógica, criar novas turmas e agrupar ou extinguir as já existentes;

- Não haverá garantia de vaga, ou período, para alunos reprovados e/ou oriundos de turmas extintas e/ou reagrupadas;

- Os casos omissos serão apreciados e julgados pelo Diretor Geral, ouvida a Coordenação Pedagógica e de Curso.

Estágio Curricular

O Estágio é um procedimento didático-pedagógico que tem por objetivo completar o ensino ministrado ao aluno, proporcionando-lhes iniciativas de integração no mercado de trabalho, mediante treinamento prático na área específica do curso que proporcionará ao aluno, aperfeiçoamento técnico, científico, cultural e  de relacionamento profissional.

 

O Estágio é obrigatório (durante ou após a realização dos módulos) para todos os Cursos Técnicos. Os alunos devem procurar os estágios nas organizações de suas preferências, desde que, as atividades estejam relacionadas com as Competências do Curso, o qual deve ter acompanhamento do Coordenador responsável de cada Curso Técnico, concordando com as competências estabelecidos.

 

Regulamento

Antes de apresentar o relatório à banca avaliadora, o aluno deverá se dirigir à Secretaria da Escola para verificar a exigência ou  não de pendências curriculares e a documentação exigida em  lei.

Estágio Curricular Supervisionado

As instruções destinam-se a orientar o responsável pelo estágio na empresa e o coordenador de estágio na escola, quanto à importância e preenchimento da Ficha de Avaliação de acordo com os critérios definidos pela Escola. O rigor na supervisão e na avaliação do desempenho do estagiário constituir-se-á em um instrumento de ensino e aperfeiçoamento profissional do aluno, resultando no redimensionamento e suas potencialidades e limites.

Para avaliar o projeto e o conhecimento do aluno, com referência ao assunto estudado/pesquisado, haverá uma banca avaliadora, a qual terá critérios fixados pela Escola a serem observados.

Os relatórios de estágios passarão pela orientação e avaliação da Coordenação de Estágios, Coordenador do Curso e Professor Orientador, antes de ser apresentado à banca.

 

Estágio Curricular Obrigatório

 

O estágio curricular não cria vínculo empregatício de qualquer natureza entre o estagiário e a empresa;

 

- O estágio curricular, quando necessário, respeitados os limites legais, terá sua carga horária e validade definidas, por meio do componente curricular aprovado para cada curso;

 

- O prazo máximo para a conclusão do estágio curricular é de até 02 (dois) anos após a conclusão da sequência curricular mínima, desde que não seja ultrapassado o período de 05 (cinco) anos para a conclusão de todos os componentes curriculares, incluindo o estágio;

 

- A Escola Técnica DAMA indicará, obrigatoriamente, o profissional responsável por:

 

--- Acompanhamento e orientação do processo de ensino-aprendizagem, durante a realização do estágio curricular;

 

--- Avaliação do relatório final de estágio curricular;

 

--- Divulgação de normas e legislações pertinentes à realização do estágio curricular.

 

- A forma de distribuição das atividades, assim como as orientações gerais para a realização do estágio, elaboração e encaminhamento do(s) relatório(s), respeitadas as demais normas previstas neste documento, serão divulgadas por meio de manual específico de estágio, distribuído pelo Departamento de Estágio;

 

- As demais disposições sobre estágio curricular obrigatório seguem as definições estabelecidas pela Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008, publicada no Diário Oficial da União de 26 de setembro de 2008, conforme disposto no Artigo 7º e 8º.

 

 

 Estágio Não–Obrigatório (art. 2º § 2º)

 

A partir da vigência da Nova Lei do Estágio, sobre o estágio não-obrigatório, os procedimentos adotados pela Escola Técnica DAMA são os seguintes, atendendo o disposto no Art. 1º § 2º:

 

- O estágio não obrigatório será desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória (Art. 1º § 2º);

 

-O estágio não cria qualquer vínculo empregatício, observados os requisitos:

 

--- Matrícula e freqüência regular do educando no curso de educação profissional; (Art. 3º. Itens I, II, III e § 1º e 2º do item III);

 

-Termo de compromisso entre educando, parte concedente do estágio e instituição de ensino; (Art. 3º item II);

 

- Compatibilidade de atividades de estágio e aquelas previstas no termo de compromisso; (Art. 3º item III);

 

-Acompanhamento efetivo pelo professor da instituição e pelo supervisor da parte concedente, comprovado por vistos nos relatórios e por menção de aprovação final; (Art. 7º, item III e Art. 3º, item III, § 1º);

 

-O descumprimento de qualquer item ou de qualquer obrigação contida no termo de compromisso caracteriza vínculo empregatício do educando com a parte concedente; ( Art. 3º, item III, § 2º);

 

-A instituição de ensino, e os agentes de integração serão responsabilizados civilmente se indicar estagiários para a realização de atividades não compatíveis com a programação curricular estabelecida para cada curso; (Art. 5º § 3º);

 

 

-O local de estágio pode ser selecionado a partir de cadastro de partes cedentes, organizado pela instituição de ensino; (Art. 6º);

 

-Todos os procedimentos só terão validade para os termos de compromisso e convênios de estágio assinados a partir de 26 de setembro de 2008.

 

-As demais disposições estão especificadas no Art. 16,das disposições gerais da lei do estágio;

 

-Quando o estagiário for menor de idade, é exigida autorização, por escrito, dos pais ou responsáveis;

 

-O horário de realização do estágio será definido entre: Escola Técnica DAMA, o estagiário e a parte concedente seguindo normas estabelecidas pelos artigos 10, 11, 12, 13 e 14, da lei do estágio.

 

Conceito final do Estágio

 

O critério para o cálculo do conceito final está explicitado na Ficha de Avaliação;

 

-A Ficha de Avaliação deverá ser preenchida de forma conjunta entre o responsável pelo estágio na Empresa e pelo Coordenador/Supervisor do Estágio da Escola.

 

 

Aspectos avaliados

 

Consideram-se os aspectos básicos e necessários para o processo avaliativo.

 

- Aspectos profissionais;

 

- Aspectos humanos.

 

Ver todas as empresas parceiras para estágios

Atribuições e Responsabilidades

Deveres do aluno

 

 

 Comprometimento com as competências e habilidades a serem adquiridas;

 

  • Pontualidade e assiduidade às aulas e atividades escolares;

 

  • Possuir o material necessário para o bom desenvolvimento das atividades;

 

  • Participar das aulas com respeito e atenção aos colegas e professores;

 

  • Apresentar-se vestido adequadamente ou em conformidade com as atividades (jaleco nas aulas práticas de laboratório); 
    • Zelar pelo patrimônio e equipamentos da escola;
    • Contribuir para o asseio e organização da Unidade escolar;

 

  • Evitar conversas paralelas nos corredores e lugares que prejudiquem a concentração dos colegas da escola;

 

  • Ter bom comportamento social e ético proporcionando a elevação do conceito da escola, profissionais e colegas de curso; 
    • Realizar e entregar tarefas no prazo estipulado;

 

  • Comunicar ao Estabelecimento qualquer problema (doença, viagem, etc.) que o impeça à frequência às aulas, desde que cumpra os prazos estipulados em edital pela secretaria; 
    • Nas aulas práticas de laboratórios/oficinas, será obrigatório o uso de jalecos com a identificação da escola e calçados fechados;

 

  • Durante as aulas práticas de laboratório os alunos devem deixar seus materiais (bolsas, mochilas, casacos na sala de aula ou armário;

 

 

  • Manter rigorosamente em dia suas obrigações financeiras com a tesouraria da Escola Técnica DAMA.

 

 Direitos do aluno

 

 Compromisso com a aprendizagem de todos os alunos da classe;

  • Competência profissional;

 

  • Gestão Participativa;

 

  • Condições físicas adequadas para o estudo;

 

  • Proposta curricular compatível com o Curso;

 

  • Equipamentos e materiais de ensino e aprendizagem diversificados;

 

  • Oportunidades adequadas para o desenvolvimento de atividades de recuperação e reforço da aprendizagem;

 

  • Acompanhamento contínuo do processo educacional;

 

  • Horários compatíveis com as necessidades da turma;

 

  • Assistir, normalmente, às aulas e demais atividades da Escola, programadas para a participação do Corpo Discente;

 

  • Receber os Certificados, Diplomas ou outros documentos escolares a que tiver direito;

 

  • Interpor pedidos de reconsideração e recursos contra resultados da avaliação final, dirigidos à Coordenadoria Pedagógica, até o 5º dia subseqüente à data de afixação e divulgação dos mesmos;

 

  • Requerer chamada especial para provas, às quais não pôde comparecer, justificadamente;

 

  • Representar ao Diretor Administrativo Técnico-Pedagógico contra atos que considerar injustos ou discriminatórios e reclamar providências;

 

  • Ser respeitado e tratado com urbanidade e justiça por educadores, colegas e funcionários da escola;

 

  • Ter asseguradas as condições necessárias ao desenvolvimento de suas potencialidades, tanto na perspectiva social quanto na individual, entendidas como:

 

- ampla assistência do professor;

- acesso aos recursos materiais e didáticos da escola. 

 

 

 

 

 

É vedado ao aluno

 

 Causar danos ao prédio, mobiliário, equipamentos ou materiais, ficando obrigado a indenizar a Escola pelos eventuais prejuízos causados;

 

  • Empenhar-se em luta corporal, praticar atos turbulentos ou perigosos, participar de algazarras nas dependências da escola ou em suas proximidades;
    • Perturbar aulas e trabalhos escolares;
    • Trajar shorts, calção, mini-saia, mini-blusa, bonés e chapéus;

 

  • Usar códigos e linguagem impróprios e praticar atos indecorosos, inadequados ao convívio social;

 

  • Utilizar-se de processo fraudulento na realização de trabalho escolar;

 

  • Comparecer às aulas com atraso, tolerado somente, em casos excepcionais, na 1ª aula do período ou a critério do Professor;

 

  • Ausentar-se da sala de aula e do local de trabalho escolar sem autorização do respectivo Professor, ou da Coordenação Pedagógica;

 

  • Permanecer na sala de aula ou no local de trabalho escolar após o término das atividades escolares normais, sem autorização de quem de direito;

 

  • Praticar jogos de azar, fumar, ingerir bebidas alcoólicas ou apresentar-se alcoolizado nas dependências da Escola;


     
    • Portar ou repassar drogas ilegais;
  • Ocupar-se com trabalhos estranhos ao regime escolar, desde que não sejam tarefas devidamente autorizadas;


  • Portar ou introduzir na Escola armas e materiais inflamáveis ou explosivos, bebidas alcoólicas, etc;



  • Utilizar indevidamente equipamentos de prevenção de acidentes e combate a incêndios;
    • Ignorar as convocações que receber;


  • Divulgar por qualquer meio de publicidade assuntos que envolvam direta ou indiretamente o nome da Escola, professores ou funcionários;
    • Alimentar-se durante as aulas,  biblioteca, oficinas e laboratórios;
    • Manter ligado celular, rádios, aparelhos de som e outros equipamentos musicais durante as aulas;
    • Aplicar trote, usar de aparelhos sonoros durante as aulas;


  • Participar da formatura do seu curso se tiver pendências curriculares (conceitos, faltas) ou financeiras (tesouraria).


  • Permanecer em sala de aula sem ter efetuado a matrícula ou (re) matrícula;


  • Apresentar Trabalho de Conclusão de Curso – TCC estando inadimplente na tesouraria.

Direitos e Deveres do Professor

Compete aos docentes:

 

- participar da elaboração, implementação e avaliação do Projeto Político-Pedagógico do estabelecimento de ensino, construído de forma coletiva e aprovado pelo Conselho Escolar;

 

- elaborar, com a equipe pedagógica, a Proposta Pedagógica Curricular do estabelecimento de ensino, em consonância com o Projeto Político Pedagógico e as Diretrizes Curriculares Nacionais e Estaduais;

 

- participar do processo de escolha, juntamente com a equipe pedagógica, dos livros e materiais didáticos, em consonância com o Projeto Político Pedagógico do estabelecimento de ensino;

 

- elaborar seu Plano de Trabalho Docente;

 

- desenvolver as atividades de sala de aula, tendo em vista a apreensão crítica do conhecimento, pelo aluno;

 

- proceder à reposição dos conteúdos, carga horária e/ou dias letivos aos alunos, quando se fizer necessário, a fim de cumprir o calendário escolar, resguardando prioritariamente o direito do aluno;

 

- proceder à avaliação contínua, cumulativa e processual dos alunos, utilizando-se de instrumentos e formas diversificadas de avaliação, previstas no Projeto Político Pedagógico do estabelecimento de ensino;

 

- promover o processo de recuperação concomitante de estudos para os alunos, estabelecendo estratégias diferenciadas de ensino e aprendizagem, no decorrer do período letivo;

 

- participar do processo de avaliação educacional no contexto escolar dos alunos com dificuldades acentuadas de aprendizagem, sob coordenação e acompanhamento do pedagogo, com vistas à identificação de possíveis necessidades educacionais especiais e posterior encaminhamento aos serviços e apoios especializados da Educação Especial, se necessário;

 

- participar de processos coletivos de avaliação do próprio trabalho e da escola, com vistas ao melhor desenvolvimento do processo ensino e aprendizagem;

 

- participar de reuniões, sempre que convocado pela direção;

 

- assegurar que, no âmbito escolar, não ocorra tratamento discriminatório em decorrência de diferenças físicas, étnicas, de gênero, orientação sexual, de credo, ideologia,condição sócio cultural , entre outras;

 

- viabilizar a igualdade de condições para a permanência do aluno na escola, respeitando a diversidade, a pluralidade cultural e as peculiaridades de cada aluno, no processo de ensino e aprendizagem;

 

- participar de reuniões e encontros para planejamento e acompanhamento, junto ao professor de Serviços e Apoios Especializados, da Sala de Apoio à Aprendizagem, da Sala de Recursos e de Contra turno, a fim de realizar ajustes ou modificações no processo de intervenção educativa;

 

- estimular o acesso a níveis mais elevados de ensino, cultura, pesquisa e criação artística;

 

- participar ativamente dos Pré-Conselhos e Conselhos de Classe, na busca de alternativas pedagógicas que visem ao aprimoramento do processo educacional, responsabilizando se pelas informações prestadas e decisões tomadas, as quais serão registradas e assinadas em Ata;

 

- propiciar ao aluno a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico, visando ao exercício  consciente da cidadania;

 

- zelar pela frequência do aluno à escola, comunicando qualquer irregularidade à equipe pedagógica;

 

- cumprir o calendário escolar, quanto aos dias letivos, horas-aula e horas-atividade estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;

 

- cumprir suas horas-atividade no âmbito escolar, dedicando-as a estudos, pesquisas e planejamento de atividades docentes, sob orientação da equipe pedagógica, conforme determinações da Secretaria de Estado da Educação;

 

- manter atualizados os Registros de Classe, conforme orientação da equipe pedagógica e secretaria escolar, deixando-os disponíveis no estabelecimento de ensino;

 

- participar do planejamento e da realização das atividades de articulação da escola com as famílias a comunidade;

 

-. desempenhar o papel de representante de turma, contribuindo para o desenvolvimento do processo educativo;

 

- dar cumprimento aos preceitos constitucionais, à legislação educacional em vigor e ao Estatuto da Criança e do Adolescente, como princípios da prática profissional e educativa;

 

- participar, com a equipe pedagógica, da análise e definição de projetos ou programas a serem inseridos no Projeto Político-Pedagógico do

estabelecimento de ensino;

 

- comparecer ao estabelecimento de ensino nas horas de trabalho ordinárias que lhe forem atribuídas e nas extraordinárias, quando convocado;

 

- zelar pelo sigilo de informações pessoais de alunos, professores, funcionários e famílias;

 

- manter e promover relacionamento cooperativo de trabalho com seus colegas, com alunos, com pais e com os demais segmentos da comunidade escolar;

 

- participar da avaliação institucional, conforme orientação da Secretaria de Estado da Educação;

 

- trabalhar a temática da Educação das Relações Ético Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Indígena nas disciplinas, quando o conteúdo exigir;

 

- utilizar adequadamente os espaços e materiais didático-pedagógicos disponíveis, como meios para implementar uma metodologia de ensino adequada à aprendizagem de cada jovem, adulto e idoso;

 

- atuar no estabelecimento de ensino sede, nas organizações coletivas e individual, como também nas Ações Pedagógicas Descentralizadas,

autorizadas pela Secretaria de Estado da Educação;

 

- O professor pedagogo tutor é o docente da turma, responsável pela organização do trabalho pedagógico do curso, dos registros e demais

 

atribuições que lhe serão designadas em virtude da docência do Eixo de Formação Pedagógico e no Eixo de Formação Específica;

 

- O professor tutor específico é o docente do Eixo de Formação Específica, desenvolverá a prática docente em conjunto com professor pedagogo tutor, para suporte pedagógico dos conhecimentos específicos de cada curso do Eixo de Formação Específica.

 

Direitos e Deveres do Coordenador

Cabe ao Coordenador de Curso na Educação Profissional - colaborar, trabalhar de forma articulada com a equipe pedagógica; para a consolidação do processo de formação integrada;

 

a) disponibilizando-se a orientar e acompanhar o Plano de Trabalho Docente;

 

b) viabilizar os recursos didáticos e ferramentas de ensino específicas;

 

c) incentivando e providenciando leituras e pesquisas específicas;

 

d) estimulando as inovações, quanto à dinâmica do trabalho de sala de aula, sugerindo novas práticas e técnicas de ensino.

 

- participar da (re)organização da biblioteca, orientando quanto a aquisição, conservação e utilização dos livros técnicos;

 

- cumprir sua hora-atividade para acompanhamento do curso;

 

- acompanhar a frequência dos docentes, reorganizando horários quando se fizer necessário;

 

- acompanhar o Pré-Conselho e o Conselho de Classe;

 

- acompanhar a frequência, desempenho, recuperação paralela e evasão dos alunos;

 

- acompanhar o processo de matrículas, transferências e remanejamentos de alunos;

 

- acompanhar o processo de avaliação institucional do curso e do estabelecimento de ensino;

 

- promover a intermediação com o mundo do trabalho (estágios, práticas e projetos);

 

- identificar e divulgar os resultados dos cursos técnicos em âmbito escolar junto ao Núcleo Regional de Educação/Secretaria de Estado da Educação;

 

- analisar as condições de oferta (infraestrutura) do curso e propor as adequações necessárias;

 

- esclarecer a comunidade sobre o Plano de Curso;

 

- elaborar relatórios periodicamente de atividades para auto-avaliação do(s) curso(s) e acompanhamento de suas funções (APENDICE 7 ).

 

- orientar e acompanhar os professores, juntamente com a equipe pedagógica, quanto à elaboração da Proposta Pedagógica Curricular, Plano de Curso e a articulação da mesma com a prática social e o mundo do trabalho, mediada pelos conteúdos relativos à sua área de atuação;

 

- orientar os alunos quanto às dúvidas em relação ao(s) conteúdos, horários de aula, entre outros;

 

- definir as necessidades de materiais de consumo e de equipamentos de laboratório pertinentes à sua área de atuação;

 

- definir a necessidade de manutenção e/ou conserto de equipamentos danificados do(s) curso(s) de que estão sob sua coordenação;

 

- supervisionar o cumprimento do horário das aulas para as turmas do curso sob sua coordenação;

 

- coordenar o estágio não obrigatório da área quando o aluno estiver desempenhando função na mesma área profissional ao curso técnico ofertado pelo estabelecimento de ensino;

 

- acompanhar o Plano de Trabalho Docente, quanto ao desenvolvimento dos conteúdos estabelecidos para a disciplina e a carga horária;

 

- providenciar e divulgar o material didático necessário para o desenvolvimento do trabalho pedagógico;

 

- coordenar reuniões sistemáticas com a equipe pedagógica e professores para avaliação do processo de ensino aprendizagem;

 

- organizar grupos de estudos para aprofundar temas que contribuam para a atualização docente;

 

- promover a articulação com a equipe pedagógica da escola para a discussão e avaliação do curso;

 

- sugerir procedimentos metodológicos inovadores, acompanhando a evolução dos conhecimentos técnicos e tecnológicos, próprios do curso;

 

- supervisionar as atividades de estágio obrigatório, da Prática de Formação e da Prática Profissional Supervisionada, dos alunos, em conjunto com a Coordenação de Estágio.

 

- articular, juntamente com a Coordenação de Estágio obrigatório, campos de estágio novas parcerias, com instituições públicas ou privadas para firmar cooperação técnica;

 

- realizar a avaliação institucional, conforme orientação da Secretaria de Estado da Educação;

 

- zelar pelo sigilo de informações pessoais de alunos, professores, funcionários e famílias;

 

- manter e promover relacionamento cooperativo de trabalho com professores, funcionários seus colegas, com alunos, com e pais/responsáveis e com os demais segmentos da comunidade escolar;

Aproveite...


Temos alguns cursos que estão com vagas abertas, achamos interessante te oferecer agora que você está nos conhecendo.


Perguntas Frequentes


  • O QUE É CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE?
  • COMO SE DÁ A ARTICULAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS COM O ENSINO MÉDIO?
  • O QUE É ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA?
  • O QUE É CATÁLOGO DE CURSOS TÉCNICOS?
  • O QUE SÃO EIXOS TECNOLÓGICOS?
  • DURAÇÃO DOS CURSOS?
É um curso de nível médio que objetiva capacitar o aluno com conhecimentos teóricos e práticos nas diversas atividades do setor produtivo. Acesso imediato ao mercado de trabalho é um dos propósitos dos que buscam este curso, além da perspectiva de requalificação ou mesmo reinserção no setor produtivo. Este curso é aberto a pessoas que tenham concluído o ensino fundamental e para a obtenção do diploma de técnico é necessária a conclusão do ensino médio.

O funcionamento se dá de três formas: Integrada, concomitante e subsequente.

Na forma concomitante, ocorre uma complementaridade entre o curso técnico oferecido por uma escola técnica e o ensino médio freqüentado em outra escola. Nesta modalidade o aluno tem duas matrículas em instituições diferentes. Ao concluir o ensino técnico, terá a expedição de seu diploma condicionada à conclusão com aproveitamento do ensino médio.

Na forma subsequente, o aluno ao se matricular no curso técnico já concluiu o ensino médio, portanto, ao finalizar com aproveitamento o curso técnico obterá diretamente seu diploma.

Na forma integrada, o aluno com uma única matrícula, freqüenta curso cujo currículo foi planejado reunindo aos conhecimentos do ensino médio às competências da educação profissional. Ao concluir este curso, o aluno receberá certificado de conclusão do ensino médio e diploma do curso técnico profissionalizante.

Os Cursos de Especialização Técnica de Nível Médio destinam-se aos graduados em cursos técnicos, tendo o objetivo de preparar especialistas em setores restritos das atividades profissionais.

São ofertas especializadas em alguma sub-área da formação do curso técnico. Exemplo: Especialização pós-técnica em enfermagem do trabalho, especialização do técnico em enfermagem.

Instrumento, cuja proposta é disciplinar a oferta de cursos técnicos, no tocante às denominações por esses empregadas. O Catálogo confere, também, grande visibilidade a esses cursos, bem como auxilia na escolha vocacional por parte dos alunos e pode ainda inspirar escolas em novas ofertas educativas.

Uma nova proposta de organização da educação profissional e tecnológica, em substituição às 21 áreas profissionais anteriores.

Os cursos técnicos terão duração mínima de 800 horas (teórico-prático), conforme Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos do MEC, mais estágios curriculares.

- O ensino médio terá duração de 3000 horas, em 03 (três) anos letivos.

- O EJA presencial fundamental: duração 02 (dois) anos letivos;

- O EJA presencial médio: duração 01 (um) ano e meio.

Olá, tudo bem?

Envie sua dúvida, sugestão ou reclamação utilizando o canal de atendimento mais adequado.

Dúvidas Gerais
Fale Conosco


Reclamações ou Sugestões
Ouvidoria


Serviço de Defesa ao Consumidor
PROCON-SC